Publicado em 24/08/21

Educação ambiental doméstica – como ser mais sustentável dentro de casa?

Sacolinhas, comida, energia elétrica, água e papel.  Você já parou para pensar de que forma estamos utilizando esses itens?  Uma postura consciente em torno dos hábitos diários pode diminuir os impactos causados ao meio ambiente, principalmente por meio da prática da ecologia doméstica.

A Organização das Nações Unidas (ONU) afirma que para acomodar os 7,6 bilhões de habitantes do mundo, suprir o uso de recursos e absorver o lixo gerado seriam necessários 70% de outro planeta Terra. 

Para minimizar esses impactos é preciso adotar mudanças que começam dentro de casa, mas se espalhem para o trabalho, lazer e até mesmo nas escolas.

Por isso, trouxemos neste conteúdo algumas práticas sustentáveis que você pode fazer dentro da sua casa e em outros locais.

Como separar o lixo de forma sustentável

Ultimamente muito se tem falado sobre a importância de preservar os recursos naturais, reciclar o lixo, diminuir os impactos no meio ambiente e consumir produtos naturais e sustentáveis. 

Porém, não são só as empresas e governos que precisam adotar novos comportamentos em prol do ecossistema, mas sim todos os cidadãos.

E uma forma simples de contribuir é separar o lixo doméstico que produzimos diariamente, para que possa ser reciclado de maneira correta. 

Mas, você sabe como separar o lixo adequadamente? Vamos te contar:

Orgânicos x Recicláveis

O primeiro passo é separar os materiais orgânicos dos materiais recicláveis. O lixo orgânico é aquele que provém de  itens de origem animal ou vegetal, normalmente produtos consumidos na cozinha, como cascas de frutas, borra de café e restos de alimentos. 

Apesar de não serem recicláveis, é possível  utilizar os resíduos orgânicos em composteiras, na criação de adubos para plantas ou até mesmo na fabricação de biocombustíveis.

Já os materiais recicláveis podem ser classificados de acordo com a matéria-prima: metal, papel, plástico ou vidro. Essa separação ajuda no processo de reciclagem e contribui para com o meio ambiente.

Metal

Nessa categoria é possível reciclar latas de alumínio, lacres de latinhas, pregos, panelas sem cabo, arames, ferragens e parafusos. É importante sempre passar uma água nos recipientes usados para retirar os resquícios de substâncias orgânicas, como refrigerantes e sucos.

Atenção: esponjas de aços, aerossóis e inseticidas não são recicláveis.

Papel

De modo geral, os papéis são recicláveis (jornais, revistas, envelopes, cartazes, folhas de caderno e etc.), desde que não estejam com substâncias orgânicas, como caixas de pizza cheias de gordura. Entretanto, não se pode reciclar papel de fotografias – devido ao material utilizado na fabricação -, papel sanitário, papel carbono e etiquetas adesivas.

Plástico

Mais da metade do lixo produzido no mundo é a base de plástico, um grande vilão quando o assunto é a preservação do meio ambiente. Por isso, é necessário reutilizar ou reciclar esse material sempre que possível. Dentre os itens recicláveis estão: sacos e sacolas, garrafas pet, tampinhas, potes e embalagens, canos e tubos de PVC.

Vidro

Os vidros podem ser reciclados desde que limpos e secos. Porém, há exceções. Não é possível reciclar lâmpadas, óculos, espelhos, tubos de TV, boxes temperados, cerâmica, louça e porcelana. 

Nestes casos, é sempre importante embrulhar os itens cortantes em papel grosso ou dentro de uma caixa de papelão, a fim de evitar acidentes com os coletores de lixo.

Nem um, nem outro

Alguns materiais não se encaixam nem na categoria de orgânicos, nem na de recicláveis, como, por exemplo, pilhas, baterias e isopor. Por isso, eles precisam ser direcionados para coletores específicos ou devolvidos ao fabricante, caso seja uma opção viável.

Outro exemplo é o óleo de cozinha que, apesar de ser um material orgânico, precisa ser destinado a cooperativas específicas, já que demanda um tratamento diferente e especializado. 

O descarte incorreto destes itens não recicláveis pode levar a contaminação do solo e dos lençóis freáticos.

Sempre separe o seu lixo de acordo com essas categorias.

Empresas especializadas em coleta de óleo de cozinha

Algumas empresas fazem a coleta de óleo de cozinha de maneira gratuita ou oferecem um local para que você entregue o óleo que deseja descartar.

Você pode pesquisá-las no Descarte Legal, de acordo com a região em que está localizado. Mas segue abaixo algumas empresas que fazem a coleta em Belo Horizonte, Região Metropolitana e Uberlândia.

 

 

Em Uberlândia, você pode conferir no site da prefeitura todos os endereços de coleta seletiva da cidade.

Também há os Ecopontos, locais que funcionam como ponto de entrega voluntária de resíduos produzidos por pequenos geradores e objetivam dar o destino adequado aos resíduos, evitando o descarte irregular.

Para solicitar serviços de coleta, há endereços e telefones também no site da prefeitura.

Economize água e energia elétrica em casa

Fazer economia é sempre bom e pequenas atitudes diárias também podem fazer uma diferença e tanto no final do mês e reduzir o orçamento doméstico e principalmente, reduzir o impacto ambiental no planeta. 

Quer saber como fazer?

Economizando água

– Mofo e bolhas na pintura da casa indicam vazamentos e mesmo pequenos, devem ser reparados imediatamente porque aumentam o consumo de água;

– Feche a torneira enquanto escova os dentes e o chuveiro enquanto se ensaboa;

– Faça o mesmo ao lavar a louça, só abra a torneira quando for enxaguar os pratos;

– Você pode economizar água armazenando água da chuva em baldes para lavar o quintal ou regar o jardim;

– A água da máquina de lavar pode ser reutilizada para limpar os banheiros e limpar a cozinha. Você gasta menos água e ainda economiza sabão em pó.

Economizando energia elétrica

– Desligue ou tire da tomada todos os aparelhos da casa que não estão em uso;

– Outra dica para economizar energia elétrica é juntar o máximo de roupa possível para colocar na máquina e lavar tudo de uma vez;

– Os filtros do ar condicionado devem ser limpos regularmente. O acúmulo de poeira dificulta a circulação do ar e aumenta o gasto de energia;

– Na hora de passar roupa, aproveite o calor do ferro e dê preferência para as peças leves, depois passe as mais grossas;

– Troque as lâmpadas incandescentes por fluorescentes compactas;

– Tire a prova se você está desperdiçando energia elétrica: Coloque uma folha de papel entre a porta e o gabinete da geladeira. Se a folha deslizar, a borracha precisa ser trocada;

– Fique atenta ao selo do Procel, o Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica, que indica o gasto energético de cada eletrodoméstico. O selo traz letras de A a G e quanto mais próximo de A, mais econômico o aparelho.

A Gestão Ambiental Doméstica é a prática diária de ações efetivas e que podem ser aplicadas imediatamente com o objetivo de reduzir ou eliminar a geração de impactos ambientais negativos que comprometem a qualidade de vida das pessoas e a preservação do planeta em que vivemos.

Então, mãos à massa? O planeta precisa de você!